Páginas

terça-feira, 27 de junho de 2017

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Ciclovia, cadê você?



BRT de Salvador, "um telhado sem casa"


http://pregopontocom.blogspot.com.br/2017/06/brt-de-salvador-um-telhado-sem-casa.html?spref=fb

As belas árvores condenadas

A bela natureza das Avenidas Juracy Magalhães e Acm está ameaçada de virar cinzas e ser trocada por cimento. Se a Prefeitura de Salvador utilizasse as vias já existentes para fazer as faixas exclusivas de ônibus com monitoramento eletrônico intensivo (BHLS) todas as árvores estariam preservadas, os rios poderiam ser um dia recuperados ao invés de tamponados e condenados a serem transformados em esgotos, a estética da cidade seria mais agradável ao invés da montanha de cimento que está projetada para o local, e a cidade deixaria de jogar no lixo cerca de 1 bilhão de reais em uma obra totalmente desnecessária. 



















sábado, 24 de junho de 2017

Secretário desconhece o dano a ser causado pelo BRT


“A informação sobre a derrubada das 579 árvores não é uma invenção vista na internet como o Secretário Fábio Mota afirmou, tal resposta soa como desconhecimento do projeto tocado pela própria pasta da Semob ou uma tentativa de minimizar o impacto da degradação causada pela derrubada das 579 árvores que darão lugar aos desnecessários elevados do BRT”, diz trecho do texto no blog Salvador sobre Trilhos, que continua. “Nossa cidade está prestes a perder de forma irremediável uma das regiões mais arborizadas que são as Avenidas ACM e Juracy Magalhães. Ao citar apenas a Avenida Vasco da Gama esquecendo-se das demais que fazem parte do primeiro trecho das obras, é preferível entender que há pouco debate sobre o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) elaborado pela Prefeitura de Salvador para o próprio BRT Lapa-Iguatemi”.

http://www.bocaonews.com.br/noticias/politica/politica/178705,blogs-desmentem-fabio-mota-secretario-desconhece-projeto-da-prefeitura.html 

Veja a resposta completa:
http://salvadorsobretrilhos.blogspot.com.br/2017/06/estudo-de-impacto-ambiental-do-brt-da.html


Prefeitura pode derrubar 579 árvores para construir BRT

Prefeitura pode derrubar 579 árvores para construir BRT http://www.bocaonews.com.br/noticias/politica/meio-ambiente/178598,prefeitura-pode-derrubar-579-arvores-para-construir-brt.html

O projeto do BRT é inviável

O projeto do BRT Lapa Iguatemi foi concebido antes do ano de 2014, quando não havia Metrô nem Uber. É óbvio constatar que qualquer estudo que tivesse sido feito naquela época contemplaria apenas viagens nos ônibus tradicionais. Vamos simular uma entrevista na Estação da Lapa ocorrida no ano de 2014:

- Senhora, sou pesquisadora da Prefeitura de Salvador e quero saber o seu destino.
- Vou pra Estação Rodoviária.
- E a Senhora vai tomar o ônibus daqui da Estação da Lapa?

- Não tenho outra alternativa, minha filha. Só me restam estes ônibus velhos, desconfortáveis, sujos, impontuais, cheios, inseguros, com muito calor, que balançam muito e caros que a Prefeitura de Salvador coordena e fiscaliza. 

Imaginemos que houvesse uma nova entrevista na Estação da Lapa em 2017 com as mesmas pessoas.

- Senhora, sou pesquisadora da Prefeitura de Salvador e quero saber o seu destino.
- Vou pra Estação Rodoviária.
- E a Senhora vai tomar o ônibus daqui da Estação da Lapa?

-  Você está louca, minha filha! Você acha que sou estúpida de tomar estes ônibus velhos, desconfortáveis, sujos, impontuais, cheios, inseguros, com muito calor, que balançam muito e caros que a Prefeitura de Salvador coordena e fiscaliza? Prefiro ir de Metrô, que é mais rápido, confortável e agradável. 

- Mas a prefeitura quer fazer o BRT com o mesmo percurso, os publicitários da Prefeitura de Salvador disseram que o tempo do ônibus e do Metrô é igual em 16 minutos.

-  Estou cansada de viver em uma cidade imaginada por publicitários da Prefeitura de Salvador. O projeto do BRT é muito bonito no papel, todo pintado de verde para a gente esquecer das 579 árvores que eles querem derrubar. 



Sem demanda para projeto do BRT como justificar o investimento público de mais de R$ 1 bilhão de reais em algo que não se sustenta economicamente porque não haveria demanda para isso? É chegada a hora do pronunciamento do Ministério Público e a decisão do Judiciário para interromper imediatamente a sangria do dinheiro público para um projeto desnecessário e desastroso economicamente, esteticamente e para o meio ambiente. 

A solução é utilizar as pistas já existentes, com faixas exclusivas de ônibus com monitoramento total pelo sistema BHLS. 


São João

Palmeiras Rabo de Peixe


28 DESTAS PALMEIRAS "RABO DE PEIXE" ORIUNDAS DA INDONÉSIA PODEM SER DERRUBADAS NA AVENIDA JURACY MAGALHÃES PARA FAZER O BRT. SE A PREFEITURA DE SALVADOR FIZESSE FAIXA EXCLUSIVA DE ÔNIBUS COM SISTEMA BHLS NENHUMA ÁRVORE SERIA DERRUBADA. 
“A estimativa de supressão vegetal (...) é de remoção de 579 árvores (413 exóticas, 44 nativas e 122 não avaliadas) e preservação de 398. As maiores quantidades de árvores são de representantes das espécies Tabebuiba (60) Cocos nucifera (50), Pachiura merrillii (43), Ficus benjamina (35) e Caryota urens (28). O rendimento lenhoso foi estimado como sendo 386,88m3”.      Fonte: Estudo de Impacto Ambiental do projeto BRT Lapa Iguatemi.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Estudo de Impacto Ambiental do BRT da Prefeitura de Salvador prevê a erradicação de 579 Árvores - A própria Prefeitura desconhece o estudo que fez


 Em reportagem feita no dia 23/06/2017 pelo portal de notícias Bocão News (clique aqui), o titular da SEMOB, Fábio Mota, declarou:

“Nem existem 579 árvores” na região onde vai passar o BRT. “Quantas árvores existem na Vasco da Gama?”, questionou, reafirmando que a informação não procede. “Isso já está na internet há algum temo. Isso não existe”.

Também questionado, o presidente da Comissão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente na Câmara Municipal de Salvador (CMS), vereador Luiz Carlos (PRB), garantiu que desconhece a informação.

Blog Mobilidade Urbana em Salvador e Blog Salvador sobre Trilhos esclarecem:

A informação sobre a derrubada das 579 árvores não é uma invenção vista na internet como o Secretário Fábio Mota afirmou, tal resposta soa como desconhecimento do projeto tocado pela própria pasta da SEMOB ou uma tentativa de minimizar o impacto da degradação causada pela derrubada das 579 árvores que darão lugar aos desnecessários elevados do BRT.  Nossa cidade está prestes a perder de forma irremediável uma das regiões mais arborizadas que são as Avenidas ACM e Juracy Magalhães. Ao citar apenas a Avenida Vasco da Gama esquecendo-se das demais que fazem parte do primeiro trecho das obras, é preferível entender que há pouco debate sobre o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) elaborado pela Prefeitura de Salvador para o próprio BRT Lapa-Iguatemi.

Quanto ao presidente da Comissão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente na Câmara Municipal de Salvador (CMS), vereador Luiz Carlos (PRB), que garantiu desconhecer a informação e aos nossos leitores, informamos que o Estudo de Impacto Ambiental pode ser encontrado no link abaixo, disponibilizado pela Prefeitura de Salvador:


Link direto:


Capa do Estudo de Impacto Ambiental elaborado para o BRT Lapa-Iguatemi


EIA_BRT_Vol II de IV - Parte II - Corte de 579 árvores - Página 162

Segue abaixo, a lista de árvores que serão derrubadas para dar passagem ao BRT que ligará as regiões da Lapa ao Iguatemi onde hoje já existe um sistema viário bastante e desenvolvido ao contrário de áreas mais carentes de Salvador a exemplo da Estrada Velha do Aeroporto. 

Entre as 579 árvores que serão derrubadas, constam espécimes como: Ipês, dendezeiros, flamboaiãs, patas de vaca, ingazeiros, cajazeiras, licurizeiros, amendoeiras, entre outros.



sexta-feira, 16 de junho de 2017

Estimativa de custo do BRT Lapa-Iguatemi (Rodoviária)

O sistema de corredor de ônibus da Lapa à Rodoviária chamado de BRT para esconder a devastação que a Prefeitura de Salvador quer fazer no Dique do Tororó, na Av. Juracy Magalhães, e na Av. ACM com devastação de 579 árvores e o tamponamento dos Rios Lucaia e Camarajipe tem custo estimado de R$ 1.000.000.000,00 (um bilhão de reais) mas custará bem mais porque nesta estimativa não contempla nada mais nada menos que o custo dos ônibus. Desta forma, a Prefeitura de Salvador não faz um estudo comparativo de verdade com o sistema BHLS que seria infinitamente mais barato, não teria o dano ambiental agora proposto, não deixaria a cidade feia, cheia de viadutos e pistas elevadas, já que utilizaria a estrutura viária já existente na cidade. 

 

Postagens populares